Este aqui é o melhor player de música para Android

Desde que o Google Play Music começou a desfazer as minhas playlists com músicas do cartão de memória a cada vez que eu reiniciava o celular, andava à procura de um player de música novo. Nesse meio tempo, usei bastante o player de musica padrão da MIUI enquanto não encontrava um melhor, ele é razoavelmente bom, mas sua interface não é das melhores e ele possui apenas recursos bem básicos. Contudo, não é dele que vou falar aqui hoje.

Durante a minha busca por um novo leitor de música decente eu testei alguns dos disponíveis na Play Store e acabei encontrando o n7Player. 



Esse aplicativo me surpreendeu pela interface bonita e inovadora, diferente de qualquer outro player que eu já tinha visto. Nele, a biblioteca de mídia é exibida de maneira diferente. É possível contar com as divisões comuns (por artista, gênero, álbum, etc.), mas a experiência do n7Player vai além.


As bandas e os artistas da biblioteca aparecem em uma nuvem de palavras, com destaque para aqueles que possuem mais álbuns armazenados no aparelho. Quando usamos o movimento de pinça para dar zoom nessas palavras, o app vai ampliando tudo até exibir um mosaico com os álbuns e suas respectivas capas; ao clicar sobre algum deles, a lista faixas é exibida.


Outra característica interessante do n7 é que ele baixa automaticamente as capas dos álbuns que estão faltando. Há também um equalizador que vem com opções pré-determinadas  e um modo de configuração livre. Além disso é possível personalizar a interface modificando as cores das fontes, ícones e plano de fundo.


Gostou e quer baixar?

O n7 é um aplicativo maravilhoso, mas isso tem um preço. Atualmente ele custa R$11,99 na Play Store e não possui uma versão gratuita, apenas uma avaliação de 10 dias. Clique aqui para baixá-lo.

Uma alternativa gratuita ao n7Player


Se você não quiser desembolsar essa pequena fortuna com o n7, apresento-lhes o Pi Player. Visualmente ele não é tão bonito quanto o n7, porém entrega uma interface do usuário bem integrada ao Material Design, com um layout limpo e intuitivo que traz uma boa experiência de usuário.


O que me surpreendeu no Pi foi a simplicidade com que as tarefas são executadas. Tudo nele é bem direto, toda a biblioteca fica distribuída em abas pela tela inicial e é isso. Ele ainda possui algumas animações minimalistas que deixam a UI mais elegante.


Dentre as principais funcionalidades do Pi Player estão:

- Uma ferramenta para cortar qualquer arquivo mp3;
- Recurso para compartilhamento de música;
- Visualização de música por pastas;
- Sleep Timer;
- Uso do Swipe para mudar as músicas na tela de execução;
- Ferramenta para editar metadados das faixas (nome, álbum, artista, gênero, etc);
- Três temas - Gloss, Luz e Dark;
- Controles na tela de bloqueio;
- Transições suaves e animações;
- Suporte a Widget.


Por ser gratuito, o Pi Music Player exibe anúncios para gerar receita para seus desenvolvedores. Isso não chega a ser um problema porque os anúncios são discretos e nada invasivos, não atrapalham a reprodução das músicas.

Para baixá-lo, acesse a Play Store.


quarta-feira, 7 de dezembro de 2016
Publicado por Wali Queiroz

MIUI 8 – O que há de novo?

A Xiaomi vem liberando, desde agosto, a nova versão da sua ROM e a atualização finalmente chegou aos aparelhos disponíveis no Brasil, Redmi 2 e Redmi 2 Pro. A MIUI 8 veio com algumas novidades na interface, mudanças positivas e outras negativas em aplicativos e novas funcionalidades, das quais falarei ao longo dessa postagem.


Vamos começar por uma das novidades mais legais dessa ROM: uma nova animação de captura de tela. Agora, no momento em que você tira um Screenshot, uma miniatura da tela capturada flutua até o canto superior do display e fica ali por alguns segundos, esperando por alguma ação. Quando você toca sobre ela, aparecem opções para compartilhamento, edição, exclusão e mais uma função interessante da MIUI 8: a captura de tela estendida. Com essa funcionalidade é possível estender longitudinalmente uma captura de tela. Ela é útil quando é necessário capturar um texto grande que não cabe totalmente na imagem exibida na tela no momento, por exemplo.

Confira no vídeo abaixo a funcionalidade da ferramenta:


A aba de notificações da MIUI 8 sofreu modificações bem radicais. O padrão dessa tela, que até a versão 7.5 da ROM era o modo aba dupla, agora vem em um modo de tela única onde temos o espaço para notificações e um carrossel de atalhos deslizantes, algo muito parecido com a aba de notificações da TouchWiz, interface da Samsung. Eu, particularmente, não gostei dessa modificação. É bem inconveniente não poder acessar todos os toggles de maneira mais direta. Felizmente é possível voltar para o padrão antigo nas configurações. A aba de notificações agora também exibe informações sobre o clima do local onde você está, e muda de cor ao sabor deste. Ela fica azul quando está nublado, roxa quando está frio, etc.

Quando ensolarado, ela fica esverdeada.
A nova ROM da Xiaomi também trouxe um novo sistema de gerenciamento de energia bem mais robusto que o das versões anteriores. O sistema dá informações detalhadas sobre a bateria, incluindo tempo estimado restante de duração de carga, quantidade de mAh disponível, voltagem e também monitora a temperatura do aparelho, exibindo um aviso de superaquecimento sempre que a mesma ultrapassa um limite em graus Celsius definido por padrão como 45º, mas é possível escolher outras opções de limite nas configurações. Não há mais perfis de bateria definidos pelo usuário, eles foram substituídos por um modo de economia de energia geral que monitora os processos em segundo plano para proporcionar uma economia maior. Além disso, o software ainda realiza análise dos gastos de bateria por aplicativos e sugere otimizações para economizar mais energia.

Informações detalhadas sobre o consumo de bateria (Clique para ampliar).

O aplicativo de notas também recebeu novidades. As anotações agora são distribuídas em quadros grandes pela interface do aplicativo e é possível adicionar templates personalizados ao fundo das notas criadas. Também dá para exportar uma nota como imagem *jpg.

Templates para personalizar o layout das notas.
O aplicativo de câmera sofreu leves modificações em sua interface e foi incluido um modo de captura no qual é possível fazer com que a câmera dispare quando algum áudio for captado pelo microfone do aparelho. A funcionalidade é a mesma de um timer.

O menu de configurações gerais da MIUI 8 chegou com menos subcategorias. Nessa versão, quase todas as principais configurações, que antes ficavam escondidas dentro de outros menus, aparecem na tela de ajustes principal.

A interface da Galeria sofreu modificações, ao meu ver, desnecessárias. Nessa versão, todos os álbuns, com exceção do com as fotos da câmera, videos e capturas de tela, ficam escondidos dentro de um submenu, tornando o acesso mais demorado, já que adiciona mais uma etapa para chegar às imagens, e isso chega a ser irritante para quem estava acostumando com a versão anterior (meu caso), onde os álbuns ficavam todos dispostos numa segunda tela. Apesar disso, a Galeria ganhou um editor de vídeos com recursos como recortes, inserção de áudio, texto e filtros, sendo 3 desses filtros modelos de edição automática que geram vídeos bem legais a partir do seu. Compartilhar um item dessa aplicação também ficou mais fácil, basta deslizar de baixo para cima no conteúdo a ser compartilhado que a tela de compartilhamento aparecerá; nessa interface é possível aplicar um filtro antes de enviar uma imagem.

Nova organização da galeria e editor de videos.

Algumas outras novas funcionalidades da MIUI 8 são:

  • Função Dual Apps – Permite clonar aplicações para ter duas contas ativas em simultâneo (duas contas de WhatsApp, por exemplo, uma para cada chip);
  • Second Space – Permite criar uma segunda sessão de modo a separar, por exemplo, o trabalho do lazer (Como as contas de usuário do Windows);
  • Agora é possível configurar atalhos para aplicativos na tela de bloqueio;
  • Controles do media player aparecem na tela de multitarefas;
  • Caller ID – detecta informações do contato mesmo que você não o tenha em sua agenda. Isto vale tanto para chamadas como em SMS. (Na prática, só funciona para número de empresas, anunciantes, etc.);
  • Quick Ball – Uma esfera flutuante (como aquela do Messenger do Facebook) que pode ser ativada na interface e, quando tocada, exibe atalhos;
  • Calculadora redesenhada capaz de calcular e converter quase tudo.

Nem tudo são flores...


Apesar de trazer muitas novidades e funcionalidades exclusivas nativamente, a MIUI 8, mesmo em sua versão global estável, também trouxe muitos bugs. Há relatos de usuários que não conseguem abrir a Galeria e eu já percebi que o gerenciamento de memória também não é muito eficiente nessa versão. O sistema consome mais RAM do que a versão 7.5, o que faz com que alguns aplicativos comecem a travar em certas circunstâncias, o que não ocorria com tanta frequência antes. Além disso, em determinados momentos a interface pisca uma imagem azul em parte da tela e a Galeria simplesmente não exibe a miniatura de algumas imagens.
A Xiaomi costuma ouvir seus usuários e por causa da quantidade expressiva de reclamações, ela provavelmente já está trabalhando na correção dessas falhas.

Ah, e, apesar de ter sido anunciada com Android 6.0 Marshmallow, a MIUI 8 para o Redmi 2/ Redmi 2 PRO é, pelo menos por enquanto, baseada no Android 5.1 Lollipop. Outros aparelhos da Xiaomi a receberam com o Marshmallow.


segunda-feira, 31 de outubro de 2016
Publicado por Wali Queiroz
Tag : ,

Minha experiência com o Xiaomi Redmi 2 PRO

(Foto: Reprodução/Xiaomi)
E aí, pessoal? Tem alguém aí? Tudo bem com vocês? Quanto tempo!

Apareci para compartilhar com vocês minha experiência de uso com o aparelho da Xiaomi diponível no Brasil, o Redmi 2 PRO. O aparelho não é novidade no mercado e possuo o mesmo desde o ano passado, mas acredito que pouca gente conhece o gadget e a empresa Xiaomi. 
O objetivo desse post não é fazer propaganda, mas, além de minhas impressões, apresentar uma nova opção de marca confiável, já que muita gente se recusa a comprar um aparelho pelo fato de não conhecer a fabricante. 

Quando decidi trocar de aparelho fiquei na dúvida entre o Moto G3, o Asus Zenfone 5 e o Redmi 2 PRO. Os três modelos são intermediários e possuem especificações de hardware bem parecidas. Na época, optei pelo modelo menos popular entre os três por causa do preço mais atrativo em relação aos outros dois. Me surpreendi positivamente com o Redmi, o aparelho apresenta um desempenho muito bom e seu maior diferencial é o sistema operacional customizado baseado no Android; falarei sobre ele mais abaixo.

Vamos as especificações do aparelho: O Redmi 2 PRO possui 2 GB de memória RAM, 16GB de memória flash interna, entrada para cartão microSD, câmera traseira de 8MP com flash led e câmera frontal de 2MP, tela de 4,7 polegadas HD (768x1280), processador Snapdragon 410 de 1.2GHz quad-core, Wi-Fi, dual chip 3G e suporta 4G LTE.

O aparelho vem de fábrica com a MIUI, uma rom desenvolvida pela própria Xiaomi e que é o grande destaque do dispositivo. A MIUI modifica profundamente o Android, tudo nela é muito diferente do padrão do sistema da Google e lembra muito mais o iOS da Apple, com todos os aplicativos distribuídos pelas telas iniciais, sem um menu principal. Diferentemente de outras customizações de fabricantes que deixam o Android sobrecarregado de recursos e aplicativos desnecessários (vide TouchWiz), a rom do Redmi é limpa o que contribui muito para a performance geral do aparelho.

Minhas telas iniciais

O sistema da Xiaomi não é um launcher que roda sobre o Android, como interfaces de outras fabricantes; as modificações feitas no sistema da Google pela MIUI vão desde a interface gráfica até otimizações de baixo nível para a rom funcionar com fluidez nos aparelhos. A impressão que eu tive é de que tudo nela é feito para tirar melhor proveito do hardware e da melhor maneira possível. É um ecossistema completo com funções exclusivas.
Outro fator interessante sobre a MIUI é que ela segue um ciclo de atualizações e implementações de recursos independente do Android da Google. A Xiaomi costuma liberar uma nova versão beta de sua rom a cada 2 ou 4 semanas e uma versão estável para todos os usuários é liberada em média a cada 2 ou 4 meses. 

Painel de configurações/Tela de escolha de tema


A versão global estável mais recente da MIUI é a 7.5 que começou a ser disponibilizada via OTA no ultimo dia 27 de Julho para usuários do Redmi 2/ Redmi 2 PRO e é baseada na versão 5.1.1 (Lollipop) do Android. A versão 8 da MIUI baseada no Android 6.0 Marshmallow já foi apresentada, mas ainda encontra-se em fase de testes.

A câmera traseira do Redmi 2 PRO entrega imagens com qualidade satisfatória. As fotos capturadas apresentam boa saturação e cores vivas em ambientes bem iluminados. O flash led garante imagens razoavelmente boas em ambientes mais escuros.  A câmera frontal também não é ruim, mas apresenta qualidade inferior à traseira, capturando imagens com cores menos definidas e mais granulação. O software da câmera vem equipado com o "Modo Beautiful", tal recurso, quando ativado, realça do olhos e melhora o aspecto da nossa pele nas fotos tiradas com a câmera frontal, reduzindo manchas, marcas de expressão e rugas; funciona como um pequeno Photoshop embutido que faz correções em tempo real na imagem. Um pequeno defeito desse recurso é que, dependendo da intensidade do efeito que você definir, o software pode deixar as fotos bem esquisitas, com olhos grandes e rosto "derretido".
Imagem capturada com a câmera traseira do Redmi 2 Pro. (Clique para ampliar)

A bateria do aparelho possui 2.200 mAh e isso é o suficiente para o meu perfil de usuário passar o dia inteiro sem recarregar o aparelho. 

O Redmi 2 PRO não vem com fones de ouvido na caixa, o que não chega a ser um problema. O seu auto-falante, localizado na parte traseira, é de boa qualidade, com sons claros e baixo índice de distorção. Alguns ruídos podem aparecer uma vez ou outra, mas isso só acontece quando colocamos o gadget no volume máximo.

O desempenho geral do aparelho é muito bom, o sistema não apresenta qualquer lentidão na execução de tarefas cotidianas. A MIUI se sai muito bem no gerenciamento dos 1.2GB de memória disponíveis para os aplicativos instalados pelo usuário (os outros 800MB são ocupados pelo sistema), congelando apps em segundo plano que estão há muito tempo sem serem utilizados, e isso além de poupar memória, poupa bateria.

Ah, apesar de vir embarcada por padrão nos aparelhos da Xiaomi, a MIUI não é exclusiva deles. A empresa disponibiliza o download gratuito da rom em seu site oficial. Lá você pode conferir uma lista com aparelhos de outras fabricantes que são compatíveis com o sistema.

Algum de vocês tem o aparelho? Já conheciam o dispositivo ou a marca? Usam a MIUI em algum aparelho diferente? Podem comentar, não se acanhem! Até a próxima! :)

domingo, 31 de julho de 2016
Publicado por Wali Queiroz

Stellarium – Aplicativo de astronomia para visualização do céu

O Stellarium é um software cheio de recursos muito interessantes para os apaixonados pela astronomia e curiosos sobre a abóboda celeste. Ele é capaz de simular o céu noturno, diurno e os crepúsculos de forma bem realista.
Você pode observar constelações, planetas, aglomerados, nebulosas e até mesmo satélites artificiais em 3D. Toda a simulação é rica em detalhes e exibe diversas informações sobre os corpos celestes e as constelações.


O Stellarium funciona como uma espécie de aplicativo de mapas, só que celeste. Basta dar as suas coordenadas para visualizar uma localização celeste específica, ao mesmo tempo em que é colocado em um ambiente simulado de observação. Através do app é possível, inclusive, escolher visualizar o céu através da perspectiva de outro planeta, como Júpiter e Marte. 

Outra função que me chamou bastante a atenção no Stellarium é que ele pode usar o GPS, acelerômetro e giroscópio do aparelho celular para encontrar seu posicionamento e dessa forma permitir que sejamos capazes de identificar uma estrela ou outro corpo celeste apenas apontando o celular para o céu. Assim, o que estiver no lá no momento aparecerá na tela do aplicativo e poderemos ver detalhes e também os desenhos que cada constelação representa; é como se estivéssemos apontando a câmera do celular para o céu e ela identificasse cada estrela e fornecesse informações. 


O aplicativo ainda te mostra, através da ferramenta Starlore, os nomes de estrelas e constelações,  inclusive em outras culturas, como a chinesa e egípcia.

Gostou e quer baixar?

O Stellarium está disponível na Play Store por R$6,24. Há uma versão gratuita para computador disponível no site do desenvolvedor [porém, essa versão certamente não conta com o recurso que usa sensores para fazer a identificação do céu].


terça-feira, 3 de maio de 2016
Publicado por Wali Queiroz

O InstaTags para Asha está disponível na Opera Mobile Store com todas as funções desbloqueadas


As aplicações que permitiam compras dentro delas dependiam da ferramenta Nokia In-App Payment que foi encerrada pela Microsoft e por isso deixaram de funcionar corretamente; o InstaTags era uma dessas aplicações. Ele é um app que permite que você adicione filtros, tags ou modifique o foco de uma imagem, e para desbloquear alguns filtros era necessário pagar. Porém, com o fim da Nokia Store e dos serviços que a Nokia havia criado para manter o ecossistema do Asha OS e do S40, os desenvolvedores que não abandonaram as plataformas tiveram que dar seu jeito para continuar mantendo seus aplicativos. O criador do InstaTags resolveu publicar seu app na loja de aplicativos da Opera com todas as funções premium liberadas e optou por monetizá-lo com um anúncio na inicialização que pode ser pulado facilmente.


Por enquanto, a versão que está na Opera Mobile Store é compatível apenas com aparelhos da Plataforma Asha, mas o desenvolvedor afirma que vai postar em breve para os dispositivos com S40.

Gostou e quer baixar?

O download pode ser feito neste link.

Na página do aplicativo no Facebook também foi divulgado que uma versão para Android está disponível na Play Store; no OS do Google ele foi renomeado para Fotome.



quarta-feira, 6 de janeiro de 2016
Publicado por Wali Queiroz

AcDisplay – Tela de bloqueio inteligente para Android

Sabe aqueles recursos da tela de bloqueio do Moto X e de alguns outros aparelhos da Motorola? O AcDisplay traz alguns deles para qualquer smartphone Android.
Quando o aplicativo está ativado é possível visualizar o conteúdo das notificações de maneira simplificada, assim como ocorre na Moto Tela. A ativação da tela com um gesto também está presente aqui; não é tão eficiente quanto nos aparelhos da Motorola, mas funciona; você deve deslizar a mão suavemente sobre o sensor de proximidade para "acordar" seu gadget.

O app também conta com um recurso chamado "Modo Ativo" que faz uso dos sensores do telefone para despertá-lo quando você precisa. Uma vez ativada a funcionalidade, ao tirar o celular o bolso, por exemplo, a tela acenderá e mostrará as horas e as notificações. Segundo os desenvolvedores, esse recurso não usa a CPU do smartphone e por isso o gasto de bateria não será muito grande.

Além de trazer os recursos da Moto Tela, o AcDisplay permite uma série de personalizações como adicionar Widgets de apps à tela de bloqueio, configurar atalhos para abrir aplicações ao deslizar o dedo e também modificar os planos de fundo.


O que mais me chamou atenção no aplicativo foi a interface simplificada e elegante que ele põe na lockscreen. Uma notificação é mostrada como o ícone do app que a gerou, e quando você clica em um aviso do WhatsApp, por exemplo, ele chega a exibir como plano de fundo a foto do perfil do contato e o conteúdo das mensagens também é visível direto da tela de bloqueio. Além disso, sempre que o player de música está ativo, o app exibe a capa do álbum da canção que está tocando.


Apesar disso, a fonte utilizada no AcDisplay é um pouco diferente da padrão do Android e das roms personalizadas das fabricantes, o que acaba gerando um pouco de inconsistência no visual do sistema e incomoda g(e)nte q(u)e liga pra essas coisas.

Gostou e quer baixar?

O app é gratuito e open source e pode ser baixado na Play Store. O código fonte do mesmo está disponível no GitHub.

Ah, e FELIZ ANO NOVO PESSOAL!
sexta-feira, 1 de janeiro de 2016
Publicado por Wali Queiroz

É necessário fazer login novamente no Facebook para continuar usando a experiência integrada do serviço (telefones Nokia Asha 50x e 230 Series)


A Microsoft informa que devido a uma alteração na API do Facebook que acontecerá no final de dezembro de 2015, usuários de telefones Nokia Asha 50x e 230 Series, que têm a experiência do Facebook integrada na interface de usuário, precisam fazer login novamente na conta da rede social para continuar usando a integração com o serviço. A alteração impactará os aplicativos Agenda telefônica, Fastlane, Galeria e Contas. Sem um novo login, a integração do Facebook com esses aplicativos não funcionará mais.

Para fazer login novamente e continuar usando a experiência integrada do Facebook em seu telefone Asha, faça o seguinte:

  1.  Vá para Menu > Contas.
  2.  Para remover sua conta do Facebook existente do aplicativo Contas mantenha pressionada a parte superior da conta do Facebook e toque em Excluir. Esse processo não exclui sua conta real do Facebook, apenas remove os detalhes da conta do telefone. 
  3.  Para fazer login novamente em sua conta do Facebook, toque em + e selecione Facebook na lista. Digite suas credenciais e toque em Entrar.
  4.  Selecione se você deseja sincronizar seus contatos do Facebook com o telefone e toque em Concluído. Após a alteração na API do Facebook, somente os contatos na rede social que também usarem telefones Asha 50x ou 230 Series poderão ser sincronizados. 
  5.  Depois que a sincronização dos dados do Facebook estiver concluída, você poderá continuar usando os serviços integrados na rede social no telefone da mesma forma que antes, com exceção das alterações na sincronização de contatos. 
A alteração na API do Facebook não afeta o uso do aplicativo do em si. Ele continuará funcionando como antes.
quarta-feira, 23 de dezembro de 2015
Publicado por Wali Queiroz
Tag : ,

O Nokia Z launcher muda a maneira de utilizar o Android

Como nós sabemos, a Nokia como fabricante de Smartphones não existe mais. Porém ela continua viva como uma empresa de software e lançou há um tempinho atrás o Z Launcher, um aplicativo de tela inicial para Android que muda completamente a maneira de utilizar o sistema.

Tela principal do Z Launcher

A proposta do Launcher é inovadora e permite que você acesse seus aplicativos, contatos, histórico de chamadas, etc. além de realizar pesquisas na web, desenhando a primeira letra do que você deseja acessar na tela inicial do seu smartphone. Nos primeiros usos parece estranho, porque é um jeito diferente do que estamos acostumados a usar o Android, mas depois que você se acostuma fica tudo bem interessante.

A interface do Z Launcher é muito simples e o design é focado em texto com uma fonte elegante e os ícones dos aplicativos instalados. Além disso, é capaz de trocar o plano de fundo automaticamente de acordo com o horário. Ele é dividido em três telas iniciais: uma onde você poderá adicionar widgets, outra com a lista de todos os aplicativos instalados no seu aparelho e a tela principal que é onde aparecem os aplicativos mais utilizados e é nela que é permitido desenhar a inicial do nome do item que você quer acessar.


Segundo a Nokia, o Z Launcher memoriza a sua forma de utilizar o telefone e destaca as suas aplicações favoritas, para que possa acessá-las mais rapidamente. Em teoria, quanto mais for utilizado o launcher, melhor ele se torna.

Gostou e quer baixar?

O Z Launcher está disponível gratuitamente na Play Store.
terça-feira, 10 de novembro de 2015
Publicado por Wali Queiroz

UC Browser – o navegador móvel que vem ganhando o mundo

O UC Browser - navegador para smartphones que vem crescendo no Brasil - alcançou uma marca inédita no mundo. O navegador do grupo Alibaba se tornou o segundo navegador para celular mais popular do mundo, com 16.82% de market share, de acordo com o StatCounter, um medidor de tráfego independente.



Esta recente conquista coincide com o crescente sucesso que o navegador vem fazendo mundo afora. Só no Brasil já são mais de 6 milhões de downloads, de acordo com o Google Play. A estratégia de investir em mercados emergentes na Ásia, África e América Latina vem se mostrando produtiva. Para se ter uma ideia, a população dos três maiores mercados do UC Browser – Índia, China e Indonésia – somam 2.8 bilhões de pessoas ou, um terço da população mundial. E em todos estes mercados o navegador tem mais de 40% do market share. Então é só fazer as contas que se entende o tamanho deste aplicativo.

O diferencial deste navegador móvel em relação a outros é sua adaptabilidade aos mercados locais. No Brasil por exemplo, o navegador possui seções exclusivas onde se pode acompanhar o Brasileirão, fazer o download de músicas nacionais e até assistir filmes online, em Português, claro. Essa adaptação aos mercados locais - aliado a um excelente trabalho de resolução de dúvidas e problemas via Facebook - mostra a ambição do UC Browser na duríssima missão de roubar do Google Chrome a primeira posição no rank mundial.

Além disso, nota-se que o UC Browser – devido a seus serviços de compressão em nuvem – consegue acelerar a sofrida conexão 2/3/4G do Brasil. Através de um sistema de compressão de dados em nuvem, a navegação pode ficar até 60% mais rápida. Isto é um alívio, especialmente para quem mora fora dos grandes centros, onde a infra-estrutura de internet móvel é ainda mais escassa.


Sobre a UCWeb

A UCWeb – uma das empresas que fazem parte do grupo Alibaba - é uma das líderes globais na área de internet móvel. O grupo é fortíssimo no mercado asiático e está em expansão para os mercados ocidentais. Seu principal aplicativo, o UC Browser, está presente em mais de 500 milhões de dispositivos mundo afora e é compatível com todos os sistemas operacionais. O UC Browser serve usuários em mais de 150 países e está disponível em 11 idiomas, português incluso. Para mais informações, acesse http://www.ucweb.com
sexta-feira, 23 de outubro de 2015
Publicado por Wali Queiroz

UC Browser para PC ganha versão em português

O UC Browser foi liberado em versão para computador em português. O navegador que acumula mais de 500 milhões de usuários no app móvel já pode ser baixado no PC em Português desde o último dia 17 (sim, estamos atrasados).


O navegador traz a maioria dos recursos que há na versão mobile, com destaque para o gerenciador de downloads que se mostra muito eficiente, categorizando o que você baixa de acordo com o tipo de arquivo.
Uma curiosidade interessante sobre o navegador que eu descobri recentemente é que, por ser baseado na interface Chromium M41 (a mesma do Google Chrome), podemos usar as mesmas extensões do navegador do Google, sem problemas de compatibilidade.

A UCWeb pertence ao grupo chinês Alibaba e o navegador UC Browser está na versão 5.2 (Beta), disponível em cerca de 150 países e em 11 idiomas. A instalação pode ser feita gratuitamente em computadores com Windows. Ainda não há versão para Mac OS X.
quinta-feira, 30 de julho de 2015
Publicado por Wali Queiroz

Game Cute The Rope para a Plataforma Asha

Sabe aquele joguinho no qual o objetivo é cortar cordas para deixar cair o alimento na boca de um monstrinho? Pois é. Ele é bem popular no Android e em outras plataformas e agora podemos jogá-lo em nossos Ashas.


Ao que eu pude perceber, o jogo não foi oficialmente lançado para Asha, mas algum desenvolvedor conseguiu criar essa versão que parece ser portada do Android. O resultado ficou incrível.

Gostou e quer baixar?

Para fazer o download acesse este link.

:)
sexta-feira, 10 de julho de 2015
Publicado por Wali Queiroz

Droid4X — Emulador de Android para computador

O Droid4x é um simulador do sistema operacional Android capaz de rodar qualquer aplicativo como se estivesse em um smartphone/tablet.
O mais interessante nesse programa é que ele traz uma experiência completa do Android para o PC, com a maioria das funcionalidades e o launcher padrão da plataforma, diferente do BlueStacks que usava uma interface própria que nada lembra o Android que vemos em dispositivos móveis.


No emulador, por padrão, o mouse realiza todas as ações como se fosse seu dedo, mas se você quiser poderá configurar teclas para realizar ações multitouch. Também é possível simular sua localização física dentro do emulador e compartilhar pastas entre ele e o computador para acessar arquivos do PC dentro de  aplicativos.
A versão do Android  quem vem nele é a 4.2.2 Jelly Bean e podemos instalar aplicativos tanto pela loja quanto por arquivos externos.

O Droid4x foi projetado especialmente pra quem quer executar games do Andoid no computador. É possível sincronizá-lo com seu aparelho (Android ou iOS), fazendo do seu celular um Joystick.


O hardware de seu computador afeta diretamente o potencial do simulador, ou seja, quanto mais potente, melhor.

Gostou e quer baixar?

O download do software pode ser feito no site oficial.

terça-feira, 30 de junho de 2015
Publicado por Wali Queiroz

Os mais lidos

Parceiros

© 2014 TecnoFator - Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.

- Copyright © TecnoFator - Tecnologia do Blogger - Modelo de Johanes Djogan - Adaptado por TecnoFator -